Coluna Lia Dinorah


O ELEMENTO INICIAL

Paulo Apóstolo, em sua Primeira Carta aos Coríntios, 13:2, iluminado pela Ascendência sobre si do Cristo Ecumênico, argumentou: “Eu podia ter o dom da profecia; conhecer todos os mistérios e toda a ciência; ter fé capaz de transportar montanhas, logo que eu não tivesse Caridade [isto é, Amor], já não valia nada”. Com base na inspirada assertiva do Apóstolo dos Gentios, concluímos que, se partirmos de cálculos científicos ou planejamentos sociais e políticos, sem que o Amor (sinônimo de Caridade) seja, de forma consciente, num plano superior, o elemento inicial e primordial, jamais alcançaremos o sentido maior da Criação e de Suas criaturas. Assim sendo, tudo o que fizermos ficará pela metade, com resultados aquém do pretendido ou contrários ao que fora almejado. Essas palavras deveriam as sectariamente fazer parte, por motivação óbvia, dos estatutos dos parlamentos do mundo e dos lugares onde se decidem os destinos dos seres. E, dessa maneira iluminar os debates, o convívio e a vigência das leis nascidas nessas novas e melhores condições morais e espirituais.

Mensagem de José de Paiva Netto

Folia na capital
O CarNaVenda está de volta ao calendário de festas carnavalescas da cidade. A programação, deste sábado ao dia 13, contará com grandes atrações. A primeira apresentação será com a Funqquestra e seu groove inquestionável, digno de um baile de sábado de momo para abrir a festa em grande estilo. No dia seguinte, a riqueza sonora, alegria e irreverência do grupo Liga Tripa. Na segunda-feira, Renata Jambeiro (foto) promete encantar com o show Carnavais do Brasil, um passeio rico e diverso pelos ritmos que marcam o carnaval. Dhi Ribeiro, com sua energia contagiante, encerra a folia na terça.

REFORÇO NA EDUCAÇÃO
Prestes a completar 25 anos, a distribuição de kits com materiais escolares para funcionários dos canteiros de obras, feita pela Construtora PaulOOctavio, chegou a 1,5 mil alunos beneficiados este ano. São 200 conjuntos a mais que no ano passado, um auxílio àqueles que têm filhos e/ou netos matriculados em estabelecimentos de ensino do DF e Entorno. Este reforço na educação dos jovens é uma ajuda considerável no orçamento das famílias, pois os kits são compostos materiais de largo consumo, como cadernos, canetas, lápis, apontador, borracha e réguas, entre outros itens indispensáveis. A ação beneficia os alunos dos Ensinos Fundamental e Médio. A distribuição foi feita pelo próprio empresário Paulo Octávio e por seu filho, o executivo André Octávio Kubitschek.

Leilão de tesouro líquido
O famoso crítico de vinhos francês Michel Bettane (foto) vende parte de sua adega pessoal. “Um verdadeiro tesouro líquido acumulado ao longo de quase meio século”, anuncia La Revue de Vin de France. O leilão terá lugar no início de abril e contará com 1300 garrafas de todas as regiões vitícolas francesas bem como vinhos alemães. Dentre os mais famosos rótulos estão Domaine du Comte Liger-Belair, Armand Rousseau, Domaine de la Romanée Conti (cuvée Duvault-Blochet) na Borgonha; ampla seleção de Crus Classés 1855 do Médoc; grandes nomes da Côte-Rôtie, como Georges Vernay, propriedades Marcel Deiss, Zind-Humbrecht ou Weinbach na Alsácia. O leilão será organizado no Hotel Drouot e para não favorecer as regiões mais especulativas, em particular a Borgonha, a maioria dos vinhos será vendida em lotes variados de seis garrafas com um preço único do lance inicial: 120 euros por caixa de seis.

Bordeaux: 8000 hectares arrancados
Devido à superprodução de vinho tinto, foi iniciada a destruição de 8.000 hectares de vinhas, no último dia 7, em Bordeaux. A ação faz parte de um plano de emergência ao qual 1.200 viticultores se candidataram. O setor está em apuros devido à superprodução e a uma queda drástica no consumo de vinho tinto (70% em 7 anos). Apesar de uma indemnização de 6.000 euros por hectare arrancado, a eliminação das terras vinícolas é vital para muitos agricultores. A região perderá cerca de 10% de suas vinhas, o que seria insuficiente para o equilíbrio do setor segundo profissionais da área.

Amarone quer mudar de perfil
Amarone della Valpolicella é um vinho famoso da região de Veneto, na Itália, conhecido pelo seu perfil único com aromas e sabores complexos e intensos de frutas bem maduras como amora, groselha, cereja, ameixa, mirtilo, pimenta preta, baunilha, canela, café e notas defumadas. Esse perfil é dado pelo tradicional método de vino passito onde a uva Corvina quase seca é vinificada concentrando aromas, taninos e álcool (cerca de 16% abv). O problema é que a tendência é para vinhos leves com baixo teor alcoólico. Apesar da denominação de origem apresentar resultados positivos nos últimos 10 anos, o volume de exportação do Amarone caiu 12% em 2023. Produtores começaram a discutir sobre a necessidade de fazer vinhos mais frescos. Dificuldade ainda maior em tempos de mudanças climáticas.

O post Coluna Lia Dinorah apareceu primeiro em Jornal de Brasília.



Source link

Leave a Comment