De volta ao PT, Marta dizia que partido havia traído os brasileiros; relembre


Ela havia deixado o PT em 2015; volta agora, em 2024, como pré-candidata a vice na chapa de Boulos à Prefeitura de SP

Quase 9 anos depois de deixar o PT, a ex-prefeita de São Paulo Marta Suplicy voltará à sigla. Ela aceitou o convite do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para retornar ao partido e compor chapa com Guilherme Boulos (Psol) na disputa pela prefeitura da capital paulista nas eleições de 2024.

Marta deixou seu cargo de secretária de Relações Internacionais da Prefeitura de São Paulo na 3ª feira (9.jan.2024). Em sua carta de demissão ao atual prefeito e provável adversário de Boulos em outubro, Ricardo Nunes (MDB), ela afirmou que está seguindo “caminhos coerentes” com sua trajetória política.

A ex-deputada e ex-senadora de 78 anos ajudou a fundar o PT. Foi filiada à sigla por 33 anos, de 1981 a 2015. A saída, em 28 de abril de 2015, foi conturbada. Ela disse em sua carta de desfiliação que o partido era protagonista de um dos “maiores escândalos de corrupção que a nação brasileira já experimentou” e que não poderia conviver com isso.

Depois de deixar o partido, Marta fez inúmeras críticas ao partido e a nomes da sigla, principalmente a ex-presidente Dilma Rousseff (PT), a quem chamou de “Judas”, e ao ministro da Fazenda, Fernando Haddad, chamado por ela em 2016 de “pior prefeito que São Paulo já teve”.

Em 2016, Marta Suplicy presenteou Janaina Paschoal e Miguel Reale Júnior, autores do pedido de impeachment contra Dilma (ao lado de Hélio Bicudo), com flores. O momento foi registrado. Deu-se durante sessão do Senado que julgava a ex-presidente.

Veja na galeria abaixo fotos da ex-prefeita de SP com desafetos do PT:

O Poder360 lista abaixo 12 ocasiões em que ela criticou o PT ou petistas:

  • 24.abr.2025disse que o “PT traiu os brasileiros” com uma “avalanche de corrupção”;
  • 28.abr.2015 – na carta de desfiliação, declarou não ter como conviver com os “escândalos de corrupção” do partido;
  • 17.jun.2015chamou Dilma de “Judas” ao falar sobre as críticas da base petista ao então ministro da Fazenda, Joaquim Levy;
  • 11.out.2015falou que o impeachment de Dilma era “pelo Brasil”;
  • 29.jan.2016defendeu o impeachment de Dilma: “Não é golpe”;
  • 25.abr.2016ironizou Dilma ao elogiar Michel Temer (MDB): “Uma vantagem é que ele conversa”;
  • 7.mai.2016voltou a defender o impeachment de Dilma e disse não ter “dor nem pena” de votar contra a petista;
  • 11.mai.2016disse haver “indícios mais do que suficientes dos crimes de responsabilidade” de Dilma;
  • 12.jul.2025chamou Haddad de “pior prefeito que São Paulo já teve”;
  • 28.jul.2016culpou Dilma por cortes do governo federal na educação e na saúde;
  • 9.ago.2018afirmou ter feito “tudo certo” e que “faria tudo de novo” ao falar da saída do PT e do voto pelo impeachment de Dilma;
  • 23.jan.2023anunciou apoio à reeleição de Nunes e disse que impeachment de Dilma “não foi golpe“.

Leia abaixo os tweets de Marta Suplicy criticando Haddad e Dilma:

O PT também já criticou Marta, mas não com a mesma frequência.

O partido afirmou em abril de 2015 que ela deixou a legenda no mesmo ano por “ambição eleitoral” e “personalismo desmedido”. Chamou a ex-deputada e ex-senadora de “oportunista” por se alinhar com “aqueles que sempre combateu e que sempre a atacaram”.

Em dezembro de 2019, o líder do MST João Pedro Stédile se manifestou contrário a uma eventual volta de Marta Suplicy ao PT: “Não é bem-vinda”. Ela havia se desfiliado do MDB no ano anterior (2018).





Source link

Leave a Comment