Dia Mundial da Água | Como enfrentar a crise hídrica mundial


Nesta sexta-feira (22), celebramos o Dia Mundial da Água. A data criada pela Unesco busca conscientizar sobre a importância de fatores como a gestão sustentável dos recursos hídricos. Nete ano, o tema é “Água para a Prosperidade e a Paz”.

Todo ano, o  Dia Mundial da Água acompanha um Relatório Mundial sobre o Desenvolvimento dos Recursos Hídricos (World Water Development Report – WWDR), feito pela Unesco para chamar a atenção às possíveis políticas sustentáveis relacionadas à água e os recursos que podem ajudar a seguir essa missão.

A ocsião também está associada ao Programa Hidrológico Intergovernamental (Intergovernmental Hydrological Programme – IHP), que ao longo do ano promove o conhecimento científico para ajudar os países a administrarem os recursos hídricos de maneira sustentável.

Continua após a publicidade

Gestão sustentável

Em entrevista ao Canaltech, o engenheiro ambiental Alessandro Bertolino — doutor em Gestão Urbana e professor da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) — explica que a gestão sustentável da água possui desafios relacionados às questões de quantidade e de qualidade.

Com relação à gestão da quantidade de água, o especialista expõe que os desafios estão ligados inicialmente a demanda de água devido ao crescimento populacional em algumas regiões, ao desenvolvimento industrial e à agropecuária, que podem necessitar de quantidades significativas de água.

“Associado também a essa questão de distribuição de água, outro desafio são as perdas nos sistemas de abastecimento”, menciona.

Continua após a publicidade

Já em relação à qualidade da água, dr. Bertolino diz que “a degradação ambiental pode aumentar ainda mais o custo de tratamento, que acaba sendo repassado aos consumidores” e que essa degradação pode ser ocasionada principalmente pela ocupação humana de áreas próximas a recursos hídricos associada à má gestão de resíduos e efluentes, domésticos e industriais.

Isso significa que mesmo que alguns lugares possuam disponibilidade hídrica, o custo de tratamento pode se tornar financeira ou tecnicamente inviável. “Como consequência, em alguns casos, existe a necessidade de se construir grandes sistemas que trazem água de muito longe para que ocorra o abastecimento público”, afirma o professor.

Proteção contra riscos naturais

A ocasião também levanta questões sobre o gerenciamento das águas pluviais em eventos de chuvas torrenciais, tendo em mente consequências como:

Continua após a publicidade

  • Inundações
  • Alagamentos
  • Deslizamentos

“A crescente impermeabilização do solo e a ocupação de áreas de risco, contribuem para o aumento de perdas ocasionadas por esses eventos. Além disso, podem ser citadas as doenças de veiculação hídrica que também estão associadas à degradação ambiental”, reitera o especialista.

Mudanças climáticas

Não há como falar de água sem mencionar as mudanças climáticas e as consequências preocupantes que se apoderam sobre o planeta inteiro. Para se ter uma noção, a alta temperatura do oceano atingiu recorde em fevereiro, de acordo com relatório da EU’s Copernicus Climate Change Service (C3S).

Continua após a publicidade

Um estudo da revista Advances in Atmospheric Sciences também revelou que a alta temperatura do oceano gerou eventos climáticos extremos em 2023.

Além da preocupação com o aquecimento do oceano, dr. Bertolino estima que “o regime de chuvas historicamente observado em alguns locais está apresentando novas tendências” e “a degradação de florestas e a emissão de gases do efeito estufa, também podem alterar dinâmica climática em diferentes escalas”. 

Conscientização pública

Continua após a publicidade

É importante reconhecer que a sociedade pode contribuir atitudes, e o engenheiro ambiental traz algumas recomendações:

  • Gerenciar e descartar de maneira adequada seus resíduos
  • Realizar a ligação correta da rede de esgoto onde estiver disponível
  • Adoção de mais áreas permeáveis para que água não se acumule nas superfícies
  • Adoção de reuso de esgoto ou uso de águas pluviais, quando possível
  • Evitar desperdícios

Mas para que isso aconteça, a população deve entender que  faz parte de um sistema maior, e que as suas ações podem impactar na gestão das águas.

“O primeiro passo é melhorar a educação, principalmente a educação infantil, visto que as crianças se mostram mais abertas a assuntos relacionados a meio ambiente e poderão ser disseminadoras de hábitos e ideias”, declara o professor.

Continua após a publicidade

A conclusão para este Dia Mundial da Água é que o poder público precisa trabalhar para que as campanhas educativas, de sensibilização ambiental sejam mais efetivas e para que haja uma sensação de pertencimento por parte da população.

Fonte: Unesco



Source link

Leave a Comment