eleições em Portugal e envio de ajuda à Gaza


Biden e Trump asseguraram delegados necessários para indicações de seus partidos; Senado argentino rejeitou decreto de Milei

No quadro Volta ao Mundo, a equipe do Poder360 resume os principais fatos internacionais da última semana (11.mar.2024 a 15.mar.2024).

Assista (3min25s):

Se preferir, leia: 

ELEIÇÕES EM PORTUGAL

Portugueses foram às urnas no domingo, 10 de março, para as eleições legislativas. Com 99% das urnas apuradas, a coligação de centro-direita aliança democrática conquistou 79 cadeiras do Parlamento. O principal partido adversário, o Partido Socialista, assegurou 77 assentos.

O Chega, partido de direita fundado em 2019, se consolidou como a 3ª força do Parlamento. Passou de 12 para 48 parlamentares em relação ao pleito de 2022.

Ainda faltam definir 4 cadeiras, que serão decididas com a apuração dos votos de portugueses que estão no exterior. 

AJUDA HUMANITÁRIA À GAZA

Na 3ª feira (12.MAR), a World Central Kitchen enviou o 1º navio de ajuda humanitária a partir do Chipre para a Faixa de Gaza. A viagem da embarcação com 200 toneladas de alimentos é um teste de um corredor marítimo para levar ajuda à região em guerra. 

O trajeto pelo mar Mediterrâneo para envio de auxílio humanitário foi anunciado em 8 de março pela presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen. 

ELEIÇÕES NOS EUA

Também na 3ª, Joe Biden e Donald Trump asseguraram os números de delegados necessários para serem os candidatos de seus partidos na eleição presidencial de novembro. 

O atual presidente já tem 2.107 delegados democratas. O número mínimo era de 1.968. Já Trump, soma 1.241 delegados republicano. Ele precisava de 1.215 para confirmar sua nomeação. 

Os candidatos republicano e democrata serão anunciados em julho e agosto, respectivamente, nas convenções nacionais partidárias.

TIKTOK NOS EUA

A Câmara dos Estados Unidos aprovou na 4ª feira (13.mar), um projeto de lei que pode proibir o TikTok no país. 

A legislação visa a bloquear a disponibilidade da rede social nas lojas de aplicativos dos Estados Unidos, a menos que a ByteDance, empresa chinesa dona do TikTok, se desvincule da plataforma. 

O texto ainda precisa ser aprovado pelo senado e receber a sanção do presidente Joe Biden para se tornar lei. 

SENADO DA ARGENTINA

Na 5ª feira (14.mar), o Senado da Argentina rejeitou o pacote de desregulamentação econômica proposto pelo presidente Javier Milei. O decreto foi rejeitado por 42 votos contrários e 25 a favor. 

No entanto, a medida segue em vigor. Para que o decreto de necessidade e urgência de Milei seja revogado, a Câmara dos Deputados também precisa rejeitar o texto. 

Entre as mudanças impostas, o decreto põe fim ao controle de preços em produtos e a desregulamentação de contratos de aluguéis. 





Source link

Leave a Comment