Fashion and Wine: o vinho no mundo da moda


Herdeira da prestigiosa marca Fendi, Anna Fendi, junto com o seu marido Giuseppe Tedesco, lançou a linha de vinho “Anna Fendi”

Segundo Anna, na moda, assim como no vinho, o sucesso é baseado em dois princípios fundamentais: paixão e pesquisa. É fácil entender essa relação quando pensamos pelo lado do “belo”. A moda busca a beleza nas criações, e o belo do vinho está na paisagem da vinícola, nos vinhedos, na beleza do trabalho do viticultor, do enólogo e de todas as pessoas envolvidas nesse trabalho. A beleza de uma vinha repleta de cachos de uva, o momento da vindima, onde todos estão empenhados em retirar as melhores uvas para a elaboração do vinho. Isso é belo!

Anna contou que, quando começou sua viagem pela Itália, descobriu um mundo de pessoas entusiasmadas e genuínas, com paisagens de tirar o fôlego e sabores que vinham da terra naturalmente. Tudo isso, adicionado à sua busca pela beleza e perfeição, a impulsionou a criar sua seleção de vinhos exclusivos.

Giuseppe e Anna selecionaram pequenos produtores de várias regiões vitivinícolas na Itália para elaborarem seus vinhos. Sua exclusiva coleção é formada por 21 rótulos, desde o Piemonte até a Sardenha. A busca não foi somente pelo bom vinho, mas também pela bebida saudável. Ao selecionar as vinícolas que iriam elaborar seu portfólio, alguns critérios precisavam ser atendidos, como a sustentabilidade, a mínima intervenção na adega e o não uso de aditivos e produtos químicos nos vinhedos. Para Anna, essas questões são muito importantes.

Dentre os rótulos elaborados, há Amarone de Valpolicella, Prosecco, Barolo, Montepulciano de Abuzzo, Nero d’Avola da Sicília, Aglianico, Brunello de Montalcino, Chianti Clássico, Valpolicella Superiore, Kener Alto Adige, Pinot Grigio, Riesling do Vale del Reno, Gewuertztraminer, Falanghina Irpinia, Vermentino de Gallura, Soave e Gavi. São vinhos de altíssima qualidade. No momento, esses vinhos são distribuídos somente na Itália, Estados Unidos e China, mas há um projeto para exportar para o Brasil.

Miolo Wild Gamay 2023, o único brasileiro premiado em concurso na França

O Miolo Wild Gamay 2023, elaborado a partir de fermentação espontânea com leveduras selvagens, naturais da própria uva Gamay e sem a adição de sulfitos (SO2), acaba de ser premiado com Medalha de Prata no Concours International du Gamay, em Lyon, na França. O rótulo não foi apenas o único brasileiro a ser premiado, como também o único medalhado que não é da França, Suíça e Itália. O concurso, organizado pela Inter Beaujolais, reuniu 729 vinhos Gamay avaliados por 180 especialistas internacionais, sendo que 268 foram premiados.

Para Adriano Miolo, diretor-superintendente da Miolo Wine Group, receber este reconhecimento da Federação dos Vinhos Beaujolais é motivo de orgulho. A Miolo é pioneira no Brasil a elaborar um Gamay desta forma, a exemplo do que ocorre na França. “Poder elaborar um vinho com baixa intervenção como este mostrou o quanto a Miolo tem processo e capacidade produtiva para colocar no mercado vinhos altamente diferenciados. Quando decidimos fazer um vinho com este conceito já percebíamos que o que era apenas uma ideia logo se tornaria uma tendência. Hoje, brindamos a consolidação de um projeto que está apenas começando”, comemora.

O Miolo Wild Gamay é um vinho que entrega toda diversidade da Campanha Gaúcha, que vem se destacando não somente nas variedades tradicionais como também em castas pouco conhecidas como a Gamay. Atendendo a um consumidor que busca produtos mais naturais, descomplicados, leves e fáceis de beber, este vinho segue o método ancestral de maceração carbônica de cachos inteiros, além de exibir o Selo a The Vegan Society como 100% vegano. Emblemático, se tornou ‘o vinho da Páscoa’, por ser o primeiro da safra a ser lançado.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Elaborado a partir de uvas Gamay, cultivadas nos vinhedos do Seival, na Campanha Meridional, a partir de dois clones franceses, Gamay Frou e Gamay de Bouze, este vinho é resultado do processo de maceração carbônica do encubado por gravidade de cachos inteiros, sem adição de sulfitos e fermentação com leveduras selvagens da própria uva. Límpido, de coloração rubi intensa com bordas violáceas, apresenta alta intensidade aromática e tipicidade, trazidas pelo processo de maceração, com aromas de morango, goiaba e maçã caramelada. Na boca, um vinho de estrutura leve, equilibrado, extremamente agradável e descompromissado. Ideal ser degustado como aperitivo com temperatura entre 10°C e 12°C. Devido sua baixa concentração tânica, harmoniza muito bem com saladas, sopas, peixes, massas de molhos brancos, pizzas, carnes brancas e queijos de massa mole e semidura, com destaque para o Emmenthal. Em 2023, foram 40 mil garrafas, numa produção limitada que historicamente esgota em poucos meses



Source link

Leave a Comment