Governo de SP afasta major alvo de operação da PF


Investigação mira Bolsonaro e aliados por suposta tentativa de golpe; Angelo Martins Denicoli ocupava cargo de assessor especial da Prodesp

O governo de Tarcísio de Freitas (Republicanos-SP) afastou o major Angelo Martins Denicoli do cargo de assessor especial da Prodesp, empresa operadora dos dados do Estado de São Paulo. Denicoli é um dos alvos da operação da PF (Polícia Federal) que investiga o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) e seus aliados por suposta tentativa de golpe.

O afastamento de Denicoli foi confirmado pela Prodesp ao Poder360. O órgão, porém, não informou o motivo da saída do major.

Major da reserva do Exército, Denicoli foi nomeado em 2022 para um cargo de direção no Ministério da Saúde na gestão de Eduardo Pazuello. À época, foi diretor do Departamento de Monitoramento e Avaliação do SUS (Sistema Único de Saúde).

Durante o período na Saúde, ele fez discursos nas redes contra governadores e ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) e ataques ao sistema eleitoral brasileiro. Também criticou restrições na pandemia e incentivou o uso de medicamentos ineficazes no combate à covid, como a cloroquina. 

O major foi exonerado por Marcelo Queiroga, que assumiu o ministério com a saída de Pazuello.

OPERAÇÃO TEMPUS VERITATIS

A PF realizou na 5ª feira (8.fev.2024) operação contra Jair Bolsonaro e aliados por suposta tentativa de golpe de Estado para mantê-lo na Presidência da República.

Os mandados foram autorizados pelo ministro Alexandre de Moraes, do STF. Na decisão (íntegra – PDF – 8 MB), o magistrado menciona uma suposta minuta que previa a prisão do próprio Moraes, do ministro Gilmar Mendes e do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG).

Além de Bolsonaro, estão entre os alvos:





Source link

Leave a Comment