Huawei quer ter 5 mil apps no HarmonyOS Next em 2024


A Huawei está esperando um amplo suporte de desenvolvedores para o HarmonyOS Next, seu novo sistema operacional proprietário. Durante a apresentação que firmou o lançamento da plataforma para o quarto trimestre deste ano, a empresa também disse que a ideia é fechar 2024 com pelo menos cinco mil apps funcionando de forma nativa.

Garantir esses números e firmar parcerias com desenvolvedores, aliás, é o objetivo do que a Huawei chamou de segunda fase do projeto do HarmonyOS Next. De acordo com o diretor do departamento de dispositivos e nuvem da Huawei, Zhu Yonggang, agora que o sistema operacional se aproxima de seu estágio estável, a ideia é garantir seu crescimento e que ele dê suporte a tecnologias populares.

As expectativas são altas. A fabricante acredita ser capaz de treinar mais de 100 mil desenvolvedores de software por mês, além de separar prêmios que ultrapassam bilhões de dólares para seu programa Shining Star. A iniciativa, em 2024, será focada em projetos voltados ao meio-ambiente e soluções nativas de software no HarmonyOS Next, além da produção de SDKs e serviços agregados ao sistema operacional.

Continua após a publicidade

Os planos são ainda mais ambiciosos, com o executivo da Huawei falando em mais de 500 mil aplicativos para a plataforma no futuro próximo, sem citar prazos. A título de comparação, a Google Play Store, do Android, levou pouco mais de dois anos para chegar a essa marca, enquanto a App Store, do iPhone, a atingiu em pouco mais de quatro anos. Enquanto isso, no mercado chinês, há quem diga que a nova plataforma pode ultrapassar o iOS ainda neste ano.

Huawei se afasta ainda mais do Android

A animação e investimento da fabricante no HarmonyOS Next é plenamente justificável por seu caráter. O novo sistema operacional é independente e desenvolvido com foco no mercado chinês, deixando de lado as bases do Android para focar em um desenvolvimento todo próprio e focado no próprio ecossistema da marca.

Continua após a publicidade

Essa iniciativa tem origem em 2019, quando o então presidente dos EUA, Donald Trump, começou a acusar a empresa de ser um risco de segurança ao país e impôs uma série de sanções. Diante da dificuldade de trabalhar com companhias americanas — caso do Google —, a Huawei precisou seguir por um caminho de autonomia.

Originalmente, o HarmonyOS estava sendo desenvolvido como um sistema para TVs, carros, relógios e dispositivos da Internet das Coisas. As más notícias, porém, fizeram com que ele fosse promovido a sistema operacional mobile; a primeira versão pública foi lançada apenas três meses depois das primeiras sanções a Huawei, a partir de um trabalho que vinha se desenvolvendo desde 2012.

Desde então, a plataforma vem recebendo atualizações e, segundo a Huawei, já é usada em mais de 800 milhões de dispositivos. A versão atual, entretanto, ainda é baseada nas bibliotecas de código aberto do Android, o que motiva a versão Next, que deve contar apenas com recursos e tecnologias da própria marca chinesa.

Fonte: HuaweiCentral



Source link

Leave a Comment