Secretária de Educação Hélvia Paranaguá fala sobre o ano letivo de 2024


Com o ano letivo prestes a se iniciar no Distrito Federal, a coluna entrevistou a Secretária de Educação, Hélvia Paranaguá, que nos recebeu em seu gabinete e respondeu algumas dúvidas relacionados às ações da pasta para o ano de 2024, bem como as medidas adotadas para atrair o interesse dos adolescentes e jovens brasilienses cada dia mais à educação, prevenindo a evasão escolar. Hélvia também falou sobre o quadro profissional de professores da rede pública e a construção de mais Centros de Educação da Primeira Infância, entre outros temas de destaque.

Quais as principais ações da pasta para a educação do DF em 2024?

Até 2025, a Secretaria de Educação pretende concluir mais de 40 obras em execução. O destaque é para a entrega de 18 projetos da CEPIS programados para 2024; duas creches rurais, em Pipiripau (Planaltina) e Jardins (Paranoá), e a ampliação da Educação Profissional e Tecnológica com três novas unidades, a Escola Técnica de Santa Maria, a Escola dos Sabores Oscar e a inauguração, até abril, da Escola Técnica do Paranoá. Com o apoio de todas as Coordenações Regionais de Ensino (CREs), a Secretaria continua implementando o programa SuperAção, visando eliminar a distorção idade/ano-série. Haverá esforços para expandir o atendimento da Educação em Tempo Integral, em colaboração com o MEC. A SEEDF visa ampliar o Parque Digital e aprimorar a qualidade da conectividade em todas as unidades educacionais.

Quais medidas a pasta está adotando para atrair o interesse dos adolescentes e prevenir a evasão escolar?

A Secretaria promove ativamente a formação contínua de seus profissionais e busca parcerias que facilitem a formação integral e a inserção de adolescentes e jovens no mercado de trabalho. Além disso, através dessas colaborações, projetos e programas, os estudantes têm acesso a uma ampla gama de conhecimentos científicos, tecnológicos e culturais, como o Circuito de Ciências, jogos escolares, ações relacionadas ao empreendedorismo, cultura maker, educação patrimonial, educação ambiental, direitos humanos e diversidade. A SEEDF também oferece o Programa SuperAção para estudantes em incompatibilidade idade/ano, enquanto a Educação de Jovens e Adultos é disponibilizada de maneira descentralizada, presencial, à distância e integrada à Educação Profissional e Tecnológica para adolescentes e jovens a partir dos 15 anos que, por diversas razões, abandonaram a escola.

Em relação ao quadro profissional de professores da rede pública, podemos afirmar que temos professores suficientes para suprir as necessidades das escolas este ano sem que os alunos percam aulas por falta de professores?

A Secretaria de Educação já nomeou 100% das vagas imediatas oferecidas no Edital do concurso vigente já na primeira chamada e, após o cumprir os ritos processuais desta nomeação, já planeja a solicitação de novas nomeações.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Atualmente o DF conta com algum déficit de professores (ou poucos) em alguma disciplina escolar que acenda alerta em relação a faltar professores futuramente?

A pasta destaca seu compromisso ao revelar que está empenhada na elaboração de uma proposta de cronograma, apresentando uma proposta consistente para as futuras nomeações, reforçando seu comprometimento com a melhoria do quadro educacional no âmbito público.

Em relação a construção de mais Centros de Educação da Primeira Infância (CEPI), em qual passo estamos? Temos entregas previstas para este ano?

A Secretaria de Educação do DF tem a satisfação de informar a conclusão e entrega de três CEPIs em 2023, localizadas em Ceilândia, Sol Nascente e Planaltina, representando um marco significativo para a comunidade educacional em cada cidade. Em 2024, a pasta está empenhada na entrega de mais 18 CEPIs, com previsão de conclusão ao longo do ano. Dentre esses, destacam-se as entregas previstas para Samambaia, Santa Maria, Estrutural, Recanto das Emas, Gama, Guará, Vila Telebrasília, Ceilândia, Riacho Fundo, Taguatinga, Mangueiral e Taquari. Uma em cada cidade.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Um dos desafios da educação brasileira é a ampliação da escola em tempo integral. Qual a situação atual no DF e as projeções para os próximos anos?

Nós aderimos ao Programa de Fomento às Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral em 2016, buscando aprimorar a qualidade do Ensino Médio. Atualmente, 187 escolas oferecem educação em tempo integral, beneficiando cerca de 30.000 estudantes. A SEEDF concentra esforços na ampliação da infraestrutura, com obras em andamento em três escolas, incluindo quadras de esporte, vestiários, refeitórios e salas de aula adicionais. A capacitação de professores é prioridade, com a realização de ações formativas, como ocorreu no Encontro de Educação em Tempo Integral em 2023. Além disso, a secretaria visa expandir a oferta do modelo, aderindo ao Programa do Governo Federal, Escola em Tempo Integral, para melhorar dados de evasão e reprovação, enriquecendo as práticas de ensino e aprendizagem. O foco é realizar adequações nos ambientes, diversificar materiais pedagógicos e promover ações de formação continuada, contando com apoio técnico e financeiro dos programas educacionais de tempo integral.

Fotos: JP Rodrigues


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



Source link

Leave a Comment