Argentina, Uruguai e Equador condenam veto a opositora de Maduro


Marina Corina Machado está proibida de ocupar cargos públicos por 15 anos depois de decisão da Suprema Corte venezuelana

Argentina, Uruguai e Equador condenaram no sábado (27.jan.2024) a decisão da Suprema Corte da Venezuela que confirmou a inelegibilidade por 15 anos de Marina Corina Machado, principal opositora do presidente venezuelano Nicolás Maduro.

Corina venceu em outubro de 2023 as eleições primárias da oposição para enfrentar Maduro no pleito presidencial deste ano, ainda sem data para ser realizado. Os Estados Unidos anunciaram também que estão revisando as sanções contra o país sul-americano depois do veto.

O Ministério de Relações Exteriores disse acompanhar a situação na Venezuela com “preocupação”. Em nota, lamenta a decisão de veto à Corina. Eis a íntegra (PDF – 157 kB, em espanhol).

O Ministério de Relações Exteriores disse que a decisão da Corte venezuelana contraria o Acordos de Barbados. Eis a íntegra (PDF – 271 kB, em espanhol).

No X (antigo Twitter), o Ministério das Relações Exteriores e Mobilidade Humana rechaçou a decisão da Suprema Corte contra a opositora de Maduro.

O grupo Idea (Iniciativa Democrática da Espanha e das Américas), composto por 37 ex-presidentes da região, condenaram o veto à Corina. Informaram também que reconhecem sua liderança política nas eleições venezuelanas. Eis a íntegra da carta (PDF – 920 kB, em espanhol).

Leia a lista dos signatários:

  • Mario Abdo, ex-presidente do Paraguai;
  • Óscar Arias, ex-presidente da Costa Rica;
  • José Maria Aznar, ex-presidente da Espanha;
  • Nicolás Ardito, ex-presidente do Panamá;
  • Felipe Calderón, ex-presidente do México;
  • Rafael Angel Calderón, ex-presidente da Costa Rica;
  • Laura Chinchilla, ex-presidente da Costa Rica;
  • Alfredo Cristiani, ex-presidente de El Salvador;
  • Iván Duque, ex-presidente da Colômbia;
  • Vicente Fox, ex-presidente do México;
  • Federico Franco, ex-presidente do Paraguai;
  • Eduardo Frei, ex-presidente do Chile;
  • Lucio Gutiérrez, ex-presidente do Equador;
  • Osvaldo Hurtado, ex-presidente do Equador;
  • Luis Alberto Lacalle, ex-presidente Uruguai;
  • Guilherme Lasso, ex-presidente Equador;
  • Carlos Mesa, ex-presidente da Bolívia;
  • Ernesto Férez, ex-presidente do Panamá;
  • Mauricio Macri, ex-presidente da Argentina;
  • Jamil Mahuad, ex-presidente do Equador;
  • Lenin Moreno – ex-presidente do Equador;
  • Mireya Moscoso – ex-presidente do Panamá;
  • Andrés Pastrana – ex-presidente da Colômbia;
  • Sebastián Piñera – ex-presidente do Chile;
  • Jorge Tugo –  ex-presidente da Bolívia;
  • Miguel Ángel, ex-presidente da Costa Rica;
  • Luis Guillermo – ex-presidente da Costa Rica;
  • Álvaro Uribe – ex-presidente da Colômbia;
  • Juan Carlos – ex-presidente do Paraguai.





Source link

Leave a Comment