Boeing admite “erro” em incidente com avião da Alaska Airlines


Diretor-executivo afirma que empresa adotará “transparência completa” durante investigação sobre o caso

O diretor-executivo da Boeing, Dave Calhoun, afirmou nesta 3ª feira (9.jan.2024) que a empresa tem responsabilidade no caso da aeronave da Alaska Airlines que perdeu uma das portas de emergência durante o voo, nos Estados Unidos.

“Vamos abordar isso, primeiramente, reconhecendo nosso erro”, disse o empresário durante reunião com funcionários em uma fábrica da companhia próxima a Seattle. As informações são da agência Reuters.

Calhoun afirmou, ainda, que a empresa abordará o incidente com “transparência completa em cada etapa” da investigação.

“Quando eu recebi aquela foto, tudo o que eu pude pensar sobre foi: ‘Não sei o que aconteceu, mas alguém poderia estar no assento próximo àquele buraco no avião’. Tenho filhos, tenho netos e vocês também”, declarou o diretor no decorrer do encontro.

RELEMBRE O CASO

O incidente com um Boeing 737 MAX 9 da companhia Alaska Airlines se deu na última 6ª feira (5.jan.2024).

A aeronave havia partido de Portland, com destino a Ontário, uma cidade na Califórnia (que é homônima da província canadense de Ontário), quando o tampão de uma porta de emergência se soltou, causando uma descompressão durante o voo. O piloto fez um pouso de emergência e não houveram feridos graves.

Vídeo que circula nas redes sociais mostra o interior do avião e um buraco do lado esquerdo. De acordo com a Alaska Airlines, o voo voltou em segurança para Portland. Haviam 171 passageiros e 6 tripulantes a bordo.

O incidente foi registrado quando o avião estava a cerca de 16.000 pés e com apenas 10 minutos de voo. Na configuração usada pela Alaska Airlines, a porta de saída adicional (que em outras companhias é usada como saída de emergência) fica permanentemente desativada. Ninguém estava sentado nos 2 assentos próximos à porta que explodiu, deixando um buraco na fuselagem do avião.

A Alaska Airlines foi a 1ª a decidir suspender a operação de todos os seus 65 aviões Boeing modelo 737 Max 9 para inspeções de segurança.

Não há nenhum Boeing do modelo 737 Max 9 em operação por companhias aéreas brasileiras, segundo a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil).

No entanto, há uma empresa estrangeira que faz voos para o Brasil usando o jato: a panamenha Copa Airlines, que usa o avião para as rotas de São Paulo e Rio rumo ao Panamá e Caribe. A empresa também suspendeu as operações com o modelo.

Assista ao vídeo que mostra o avião sem parte da fuselagem (1min14s):





Source link

Leave a Comment