Carregamento sem fio | Qual é a diferença entre MagSafe e Qi2?


O novo carregamento sem fio no padrão Qi2 deve começar a chegar aos smartphones a partir de 2024, e a sua principal novidade é a fixação magnética, assim como o MagSafe da Apple. Mas, quais são as diferenças entre as duas soluções e quais celulares são compatíveis com elas? Descubra nesta matéria.

Como funciona o carregamento por indução?

Continua após a publicidade

O conceito de carregamento por indução no padrão Qi é simples: o smartphone ou dispositivo compatível com a tecnologia, podendo ser relógios e fones de ouvido, precisa estar alinhados sobre uma base carregadora para ocorrer a transferência de energia.

Esse tipo de carregamento tem seus prós e contras: apesar de ser mais prático, já que não precisa de fios, um dos pontos negativos é a sua eficiência de carregamento, já que qualquer desalinhamento dos indutores pode causar problemas na recarga, além de degradar a bateria do celular no longo prazo.

Essa é uma explicação mais resumida de como funciona o carregamento sem fio, mas você pode conferir nossa completa sobre o assunto.

Continua após a publicidade

MagSafe é a evolução do Qi

Com esse problema em mente, a Apple lançou, com o iPhone 12 em 2020, o MagSafe. O princípio é o mesmo: o carregador conectado à tomada cria um campo eletromagnético com o qual o smartphone fará contato, havendo, então, a transferência de energia por indução.

A principal diferença é que o MagSafe utiliza um conjunto de ímãs, alinhando os indutores corretamente durante a recarga. Só isso conseguiria aumentar a eficiência energética e reduzir a dispersão de energia na forma de calor.

Continua após a publicidade

MagSafe x Qi2: o melhor dos dois mundos

Até 2023, a tecnologia MagSafe era exclusiva dos smartphones da Apple, mas ela foi cedida à Wireless Power Consortium (WPC) para a criação do Qi2. Basicamente, a nova tecnologia levará o carregamento sem fio por indução utilizando ímãs a outros dispositivos.

O novo padrão é uma evolução muito significativa em relação ao Qi: é mais eficaz, inteligente e segura. O principal foco será na segurança e na eficiência, portanto carregadores Qi2 devem ajustar a potência de saída de energia automaticamente, gerenciar melhor o calor, etc.

Continua após a publicidade

Comparada à solução da Maçã, a tecnologia da WPC não muda muito: smartphones Android e iPhones recarregarão a uma potência máxima de 15 W — ao menos neste início de implementação. Além disso, ambos poderão ficar presos magneticamente sobre a base, trazendo alguns benefícios à saúde da bateria.

Porém, a grande vantagem do Qi2 sobre o MagSafe é considerando o aspecto comercial: o carregador sem fio Qi 2.0 deve ser consideravelmente mais barato que o apenas MagSafe, já que mais empresas poderão produzir acessórios certificados — e isso deve deixar os usuários de iPhones mais felizes.

Quais smartphones suportam o padrão Qi2?

Até o momento, somente a linha iPhone 15 foi anunciada com suporte nativo ao padrão de carregamento Qi2. Os modelos iPhone 13 e iPhone 14 também passaram a suportar a tecnologia, mas após a atualização de sistema iOS 17.2.

Continua após a publicidade

No mundo Android, provavelmente teremos modelos suportando o Qi2 a partir de 2024 — talvez a linha Samsung Galaxy S24 já traga suporte à solução? Vale mencionar, porém, que os smartphones certificados com o padrão antigo Qi funcionarão em carregadores Qi2, porém sem o alinhamento magnético.

E aí, seu smartphone possui carregamento sem fio? Está animado para o novo padrão? Conte-nos nas nossas redes sociais!

Fonte: Anker; Baseus; The VergeWireless Power Consortium  



Source link

Leave a Comment