Com Carnaval, costureiras veem negócio crescer


A partir da venda de fantasias e acessórios, pequenas empreendedoras conseguem triplicar o faturamento

Com a chegada do Carnaval, costureiras e artesãs observam seu negócio crescer a partir do aumento da demanda por fantasias, acessórios e abadás personalizados. A festa começa oficialmente neste sábado (10.fev.2024), mas a procura por peças carnavalescas já movimenta a economia desde o ano passado.

Dona da Luh Fantasy, Luciana Miranda, de 37 anos, conta que percebeu alta de 60% no número de pedidos. Segundo a costureira, a procura por vestimentas para o Carnaval começou em dezembro. O ateliê é especializado em fantasias e está localizado em Juiz de Fora (MG).

“Mas o aumento mesmo vem depois do dia 15 de janeiro, que é quando chegam mais adereços e materiais diferentes próprios para o Carnaval. Trabalhamos para o público infantil e adulto, mas nessa época 70% são os adultos”, disse em entrevista ao Poder Empreendedor.

As fantasias variam de R$ 45 a R$ 500. Os produtos mais vendidos são tops e hot pants. De acordo com a empresária, que é MEI (microempreendedor individual), o faturamento da loja aumenta de R$ 2.000 a R$ 2.500 ao mês.

Além do público mineiro, Luciana disse que vendeu fantasias para Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP) e Brasília (DF). Todas as peças são feitas por encomendas.

“A pessoa me manda as medidas, envia o número da blusa ou da calça. Por mais que seja personalizado, pode precisar de ajustes. Eu tento mandar um pouco antes para a data que a pessoa vai usar para ela poder procurar uma pessoa de confiança para fazer esse ajuste”, afirmou.

Luciana afirma que além do Carnaval, festa junina e Halloween são tradicionalmente as datas comemorativas com maior demanda por fantasias. No restante do ano, o foco do ateliê é a produção de peças personalizadas para festas infantis.

Espaço Ninho

O ateliê comandado por Nathalia Braga, de 35 anos, também observou o negócio crescer com a festa. A artesã diz que o faturamento triplicou em janeiro, acompanhando o aumento da demanda por itens carnavalescos.

“A demanda triplicou mesmo comparado com o Natal ou outras épocas do ano que já têm alta demanda de encomendas ou de aulas voltadas para projetos específicos”, disse ao Poder Empreendedor.

Nathalia, que dá aulas de costura, disse que começou a produzir fantasias e itens de Carnaval de forma despretensiosa no ano passado. A artesã faz parte de um bloco carnavalesco de Brasília.

A partir da convivência com músicos e percussionistas, a artesã começou a produzir peças para seus colegas que começaram a indicar o seu trabalho para outras pessoas, aumentando a sua clientela.

“Algumas demandas eu tive que recusar porque eu não teria tempo hábil de fazer tudo. Cheguei a fazer as oficinas coletivas e cada um ia trabalhando em suas fantasias com a minha supervisão e a minha ajuda”, afirmou.

Brincos, tiaras e fantasias personalizadas estão no catálogo do Espaço Ninho. As peças podem ser compradas a partir de R$ 25.

Raio-X

Luh Fantasy

  • regime tributário: MEI;
  • faturamento: teto de faturamento do MEI é de R$ 81.000 por ano;
  • contato: (32) 99932-5903;
  • sede: Juiz de Fora (MG);
  • Instagram.

Espaço Ninho

  • regime tributário: MEI;
  • faturamento: teto de faturamento do MEI é de R$ 81.000 por ano;
  • contato: (61) 99342-3939;
  • sede: Brasília (DF);
  • Instagram.





Source link

Leave a Comment