Criminosos param carro e matam pais e bebê em uma rua no RJ


Um casal e seu bebê de 7 meses foram atacados a tiros quando a família circulava de carro no último domingo em Niterói, região metropolitana do Rio de Janeiro. O casal morreu no local. Baleada em uma perna e na cabeça, a criança chegou a ser levada ao Hospital Estadual Alberto Torres, onde passou por uma cirurgia de emergência, mas não resistiu aos ferimentos e morreu na manhã de ontem.

Os pais da criança foram identificados como Felipe Rodrigues, de 24 anos, e Rayssa dos Santos Ferreira, de 23. Segundo a Secretaria de Estado da Polícia Militar, na noite de domingo policiais do 12º BPM foram acionados para atender uma ocorrência na Estrada Bento Pestana, no bairro Baldeador. No local indicado, encontraram o carro perfurado por diversos disparos de arma de fogo e o casal já sem vida. O crime havia ocorrido na frente de um ponto de ônibus. Outro carro e uma casa vizinha também foram atingidos. O bebê foi levado por populares ao Hospital Municipal Getúlio Vargas Filho, mas por causa da gravidade dos ferimentos foi transferido para o hospital estadual, onde morreu.

As motivações e circunstâncias do crime são investigadas pela Delegacia de Homicídios responsável pelas áreas de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí. Conforme apurou o portal de notícias G1, a família estava em um Voyage branco alugado, quando uma moto com dois ocupantes emparelhou com o carro e os criminosos atiraram várias vezes contra o veículo.

Ainda segundo o site de notícias, Rayssa estava no banco de trás com o filho do casal e teria tentado proteger o bebê no momento do ataque.

R$ 5 MIL. Ao G1, Elvis de Freitas Soares, padrasto de Filipe, disse que o jovem ia pegar R$ 5 mil no domingo para dar de entrada em uma casa, quando bandidos abordaram o carro. Elvis, no entanto, disse não lembrar se Filipe ia reaver o dinheiro, após tê-lo emprestado a alguém, ou se iria contrair a dívida com outra pessoa. O padrasto também não soube dizer se o rapaz já estava com os R$ 5 mil na hora do crime. As vítimas residiam no bairro Pacheco, em São Gonçalo.

Antes do assassinato, Rayssa e o bebê estiveram na casa de parentes também em São Gonçalo, no bairro Santa Izabel. Em entrevista ao telejornal RJTV, da TV Globo, Leonardo dos Santos, tio de Rayssa, disse que ela e o filho haviam “passado um domingo de almoço em família, normal”. Felipe, ainda de acordo com o tio da mulher, não havia ficado na casa pois estava trabalhando. Ele usava o carro alugado para atuar como motorista de aplicativo. O parente afirma que era “costume” do rapaz trabalhar aos domingos.

DEPOIMENTOS

Segundo o RJTV, a Delegacia de Homicídios ouviu ontem depoimentos de familiares para tentar levantar mais informações a respeito da rotina do casal. Policiais fizeram perícia no local do crime e estão em buscas de imagens e testemunhas que possam ajudar a esclarecer o motivo da chacina.

Estadão Conteúdo.



Source link

Leave a Comment