Explosões antes das eleições matam 22 no Paquistão


Mais de meio milhão de agentes das forças de segurança foram mobilizados nesta quarta-feira, véspera das eleições

Ao menos 22 pessoas morreram e 37 ficaram feridas nesta quarta-feira no Paquistão em duas explosões perto de comitês de campanha de candidatos na conturbada região sudoeste do país, um dia antes das eleições legislativas e provinciais de 8 de fevereiro, anunciaram as autoridades.

As eleições foram marcadas pela violência e por acusações de manipulação após a detenção do ex-primeiro-ministro e vencedor do pleito em 2018, Imran Khan, que foi destituído do posto de chefe de Governo pelo Parlamento em 2022 em uma moção de censura.

O primeiro ataque aconteceu diante do comitê de um candidato independente no distrito de Pishin, a quase 50 quilômetros da cidade de Quetta, a capital da violenta região do Baluchistão.

A polícia de Quetta e o ministro da Informação da província, Jan Achakzai, anunciaram um balanço de 12 mortos e 25 feridos.

A segunda explosão aconteceu perto do gabinete de um candidato do partido islamista Jamiat Ulema-e-Islam-F na cidade de Killa Saifullah, 120 quilômetros mais ao leste, segundo o ministro provincial.

“Ao menos 10 pessoas morreram e 12 ficaram feridas”, afirmou à AFP.

Mais de meio milhão de agentes das forças de segurança foram mobilizados nesta quarta-feira, véspera das eleições, enquanto as autoridades distribuíam as cédulas de votação em mais de 90.000 centros eleitorais do país.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A campanha foi marcada por vários incidentes de segurança. Ao menos dois candidatos foram assassinados e dezenas foram alvos de ataques.

A votação começa na quinta-feira às 8H00 (0H00 de Brasília), com quase 18.000 candidatos para as 266 vagas eleitas diretamente no Parlamento nacional e as 749 das quatro assembleias provinciais.

© Agence France-Presse


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



Source link

Leave a Comment