Padilha diz que gestão Bolsonaro instalou “organização criminosa”


Ministro das Relações Institucionais declara que o governo Lula não descansará até punir os envolvidos

O ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, disse nesta 4ª feira (29.jan.2024) que as novas operações da PF (Polícia Federal) mostram que a “cena do crime” do 8 de Janeiro não era isolada e que havia uma organização criminosa “instalada no Palácio do Planalto” pelo ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).

A PF cumpre nesta 2ª feira (29.jan) uma nova etapa da operação que apura suposta espionagem ilegal feita pela Abin (Agência Brasileira de Inteligência) durante a gestão do deputado Alexandre Ramagem (PL-RJ), ex-diretor do órgão. Um dos alvos é o vereador carioca, Carlos Bolsonaro (Republicanos), filho do ex-presidente. A defesa ainda não se pronunciou sobre a operação.

As novas operações da Polícia Federal vêm mostrando que a cena do crime do dia 8 de Janeiro, que não era um crime isolado, continua trazendo novidades. [Houve] A organização criminosa […] tinha tentáculos em várias instituições, inclusive utilizando mecanismos paralelos, como é o caso dessa ‘Abin paralela’ que foi criada por essa organização criminosa do governo anterior”, disse Padilha.

Assista (2min32s):

 

O ministro das Relações Institucionais disse ainda que o processo de operação não se restringe à Abin e envolve todos os órgãos civis e militares. Declarou que o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) não descansará até punir os envolvidos.

“Existia uma organização criminosa a partir do Palácio do Planalto do governo anterior que envolveram várias instituições. O clima e o ódio semeados durante 4 anos do governo anterior contaminaram várias instituições civis e militares”, disse Padilha.

REUNIÃO COM HADDAD

Padilha concedeu entrevista nesta 2ª feira (29.jan) depois de ter reunião com o ministro da Fazenda, Fernando Haddad. O chefe das Relações Institucionais afirmou que o assunto foi a retomada do ano Legislativo e a agenda econômica para redução do deficit fiscal e reequilíbrio da economia.

O principal tema da agenda é a MP (medida provisória) 1.202 de 2023, que trata sobre a reoneração da folha de pagamento de 17 setores da economia. Padilha declarou que terá um trabalho de negociação com os presidentes do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), e da Câmara, Arthur Lira (PP-AL). O 2º cancelou a reunião de líderes marcada para esta 2ª feira (29.jan).

O ministro afirmou que terá reunião com o líder do governo na Câmara, deputado José Guimarães (PT-CE) nesta 2ª feira (29.jan) para tratar da agenda na Casa.





Source link

Leave a Comment