RISC-V inicia um novo movimento no mundo Linux, Índia apoia o projeto


RISC-V é uma arquitetura de conjunto de instruções (ISA) aberta e livre de licenças e royalties, que permite a qualquer um usar, desenvolver, fabricar ou vender chips e software baseados nela. RISC-V, que começou como um projeto no Laboratório de Computação Paralela da UC Berkeley em 2010, está desafiando as arquiteturas x86 da Intel e ARM. Por exemplo, um relatório recente da Next Platform sugere que o Meta está migrando de CPUs tradicionais para componentes baseados em RISC. Essa mudança é atribuída à eficiência energética, ao desempenho aprimorado, à redução da latência e à adaptabilidade para acomodar vários tipos de carga de trabalho oferecidos pelo RISC-V.

Enquanto isso, a Índia também reconhece o potencial significativo do RISC-V, vislumbrando-o como um catalisador para estabelecer um ecossistema robusto de design de chips no país.

Fazendo do RISC-V o ISA indiano

Em busca desse objetivo, em abril de 2022, o governo indiano iniciou o programa Digital RISC-V (DIR-V), que visa fomentar o desenvolvimento de microprocessadores de última geração dentro da Índia, posicionando a nação como um importante centro global de especialização em RISC-V. O ministro da União Rajeev Chandrasekhar, que foi um ex-designer de chips, também tem se envolvido ativamente na promoção e no apoio à arquitetura RISC-V. “É certamente nossa ambição como país e com centenas e milhares de engenheiros entre o público que dominaremos e nos tornaremos se não o líder global, mas certamente entre as nações líderes mundiais em propagar e navegar nas capacidades e capacidades para criar inovação em torno da família RISC V e DIR V de chips e sistemas. O governo da Índia está totalmente comprometido em fazer do DIR-V o ISA indiano (Instruction Set Architecture)”, disse o ministro.

A Índia vê o design de chips como um de seus pontos fortes e está ativamente envolvida no design de sistemas computacionais em vários domínios, incluindo computação, IoT industrial, automotivo, telecomunicações e sem fio, bem como tecnologias estratégicas.

VEGA: os processadores RISC-V desenvolvidos na Índia

Graças ao financiamento do Ministério da Eletrônica e Tecnologia da Informação (MeitY), o Centro para Desenvolvimento de Computação Avançada (C-DAC) conseguiu projetar cinco processadores RISC-V que variam desde um processador de classe microcontrolador RISC-V de 32 bits com um único núcleo até um processador fora de ordem de 64 bits com quatro núcleos capaz de rodar Linux. Esses processadores são chamados coletivamente de VEGA.

  • O VEGA-1 é um microcontrolador RISC-V RV32IMC com 32 KB de memória SRAM integrada. Ele pode ser usado para aplicações embarcadas simples, como controle industrial ou automação residencial.
  • O VEGA-2 é um processador RISC-V RV32IMAC com 64 KB de memória SRAM integrada e uma unidade de ponto flutuante (FPU). Ele pode ser usado para aplicações embarcadas mais complexas, como processamento de sinal ou visão computacional.
  • O VEGA-3 é um processador RISC-V RV64IMAFDC com dois núcleos fora de ordem e uma FPU dupla precisão. Ele pode ser usado para aplicações embarcadas avançadas, como inteligência artificial ou aprendizado de máquina.
  • O VEGA-4 é um processador RISC-V RV64IMAFDC com quatro núcleos fora de ordem e uma FPU dupla precisão. Ele pode ser usado para aplicações embarcadas de alto desempenho ou sistemas operacionais completos, como Linux.
  • O VEGA-5 é um processador RISC-V RV64GC com quatro núcleos fora de ordem, uma FPU dupla precisão e uma extensão de compactação de código (C). Ele pode ser usado para aplicações de computação em nuvem ou de ponta, como servidores ou gateways.

Os processadores VEGA foram projetados usando ferramentas de código aberto, como o Chisel, um framework de hardware construído sobre a linguagem de programação Scala. Eles também são compatíveis com o ecossistema de software RISC-V, incluindo compiladores, depuradores, simuladores e bibliotecas.

O C-DAC espera que os processadores VEGA estejam disponíveis comercialmente até o final de 2023, e que eles possam impulsionar a inovação e a independência tecnológica da Índia no campo do hardware.

Conclusão

RISC-V é uma arquitetura aberta e livre que está criando um movimento semelhante ao Linux no hardware. A Índia está na vanguarda desse movimento, com o apoio do governo e o desenvolvimento de seus próprios processadores RISC-V. Esses processadores podem ter um impacto significativo na indústria de tecnologia da Índia e no mundo, oferecendo soluções personalizadas, eficientes e acessíveis para vários tipos de aplicações.



Source link

Leave a Comment