veto de R$ 5,6 bi em emendas e R$ 300 bi à indústria


Semana foi marcada também pela operação da PF contra ex-chefe da Abin e pelo pedido de recuperação judicial da GOL nos EUA

No quadro Fatos da Semana, o Poder360 reúne os principais eventos da semana que se encerra neste sábado (27.jan.2024).

Assista (4min30s):

Lula veta R$ 5,6 bilhões em emendas

Na 2ª feira (22.jan.2024), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) sancionou a LOA (Lei Orçamentária Anual) para 2024 com veto de R$ 5,6 bilhões em emendas de comissão –as que não são impositivas e são direcionadas pelos colegiados permanentes. Lula manteve os R$ 4,9 bilhões para o Fundo Eleitoral.

O Congresso ameaçou derrubar o veto. O governo agora diz que pode rever a medida. O Planalto justificou o corte dizendo que a inflação ficou aquém do esperado e que houve queda na arrecadação. Há uma promessa de recompor os valores de emendas, sem detalhamento de como seria feito.

R$ 300 bilhões para a indústria

Também na 2ª feira (22.jan.2024), o governo anunciou a nova política industrial para o país, com R$ 300 bilhões previstos em financiamentos para o setor até 2026. Coloca o Estado como principal indutor do desenvolvimento nacional, repetindo fórmulas já usadas pelo PT e por outros governos no passado.

O presidente Lula declarou que, para o Brasil ser competitivo internacionalmente, é preciso investir na exportação de produtos.

O vice-presidente e ministro da Indústria, Geraldo Alckmin (PSB), afirmou que o Brasil ficou 7 anos sem debater o fortalecimento da indústria nacional. Segundo ele, essa ausência de políticas voltadas ao fortalecimento do setor foi suprida pela atual gestão.

PF X Alexandre Ramagem

Na 5ª feira (25.jan.2024), a PF (Polícia Federal) deflagrou operação que apura suposta espionagem ou monitoramento ilegal da Abin (Agência Brasileira de Inteligência). Um dos alvos é o ex-diretor da agência e atual deputado Alexandre Ramagem (PL-RJ), que chefiou o órgão na gestão do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).

Ramagem disse nunca ter tido acesso às senhas dos sistemas de espionagem. Políticos da oposição saíram em defesa do congressista.

Reajuste na tabela do IR

Na 3ª feira (23.jan.2024), Lula afirmou que ampliará a isenção do Imposto de Renda para quem ganha até 2 salários mínimos (R$ 2.824). Segundo a Unafisco (Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil), o impacto da isenção será de R$ 344,8 milhões em 2024.

Marinho X Moraes

Na 4ª feira (24.jan.2024), o líder da Oposição no Senado, Rogério Marinho (PL-RN), pediu ao presidente do STF, Roberto Barroso, a saída de Alexandre de Moraes da condução dos inquéritos do 8 de Janeiro.

Marinho afirmou que expressou preocupação com o “tom político” de Moraes sobre os ataques.

GOL em recuperação judicial

Na 5ª feira (25.jan.2024), a companhia aérea GOL entrou com pedido de recuperação judicial nos EUA. A empresa deve R$ 20 bilhões. O objetivo é “fortalecer sua posição financeira“. A companhia diz que não haverá mudança em voos.

Lula pressiona Vale

Durante a semana, o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, falou com acionistas privados da Vale pedindo a ida do ex-ministro da Fazenda Guido Mantega ao comando da mineradora. Lula criticou a empresa pela tragédia de Brumadinho (MG), que completou 5 anos na 5ª feira (25.jan.2024).

O mercado financeiro e agentes econômicos reagiram mal à possível ida de Mantega para a Vale. Na 5ª feira, Lula recebeu um relato do ministro de Minas e Energia de que a insistência no nome estava provocando uma impressão ruim sobre as reais intenções do governo ao tentar emplacar um presidente de sua confiança para a empresa. Na 6ª feira (26.jan.2024), Silveira negou ter conversado com Lula sobre a Vale. Por ora, o nome de Mantega está descartado.





Source link

Leave a Comment