CGU irá receber mais de 200 GB de materiais de inquéritos no Supremo


Ministro Vinícius de Carvalho disse que Moraes autorizou acesso a materiais de casos como o das joias, o uso da PRF durante as eleições e o da “Abin Paralela”

A CGU (Controladoria Geral da União) terá acesso, nos próximos dias, a mais de 200 GB de arquivos de inquéritos que envolvem o governo do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). Dentre eles o caso das joias, uso da PRF (Polícia Rodoviária Federal) durante as eleições de 2022 e da “Abin paralela”.

O acesso foi liberado pelo ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Alexandre de Moraes 1 dia antes de a PF (Polícia Federal) cumprir mandados de busca e apreensão contra o deputado federal e ex-diretor-geral da Abin, Alexandre Ramagem (PL-RJ). Ele é um dos alvos do inquérito que investiga o monitoramento ilegal durante o governo Bolsonaro.

As informações são do ministro da CGU, Vinícius Marques de Carvalho. Em entrevista à Globonews nesta 6ª feira (2.fev.2024), o ministro disse que o acesso às informações colhidas pela PF poderão acelerar os inquéritos sobre a participação de servidores e eventuais processos administrativos.

Colaboração da Abin

Marques de carvalho negou que, no caso sobre a “Abin paralela”, a CGU tenha encontrado resistência ou interferência da atual gestão da Abin na investigação. A CGU esteve na agência para ter acesso aos materiais alvos da investigação.

Ele reafirmou que a CGU pode recuperar materiais que haviam sido apagados por meio dos servidores as impressoras localizadas no órgão.





Source link

Leave a Comment