Starship: foguete da SpaceX chega ao espaço em 3º teste de voo


O Starship voou outra vez. A SpaceX lançou seu poderoso foguete nesta quinta-feira (14) nas instalações em Starbase, no sul do Texas, naquele que foi o terceiro teste de voo do veículo. Desta vez, a missão tinha objetivos ainda mais ambiciosos e mostrou enormes avanços.

Houve alguns adiamentos breves, necessários para evitar que embarcações ficassem na área restrita para o lançamento no Golfo do México. Após a liberação da região, o propulsor Super Heavy e a espaçonave Starship (que, quando instalados juntos, formam o foguete homônimo), começaram a receber propelente por volta das 9h34. Às 10h25, o Starship foi lançado.

Continua após a publicidade

Depois, às 10h28, os estágios se separaram. O Starship seguiu viagem, capturando imagens incríveis da curvatura da Terra, enquanto o Super Heavy se preparava para retornar ao nosso planeta.

Às 10h31, os motores do Super Heavy foram acionados para seu retorno — nos testes anteriores, o booster havia explodido nesta etapa. A reentrada pareceu ter começado de forma controlada, mas o sinal foi perdido e não há informações sobre como foi o retorno do propulsor. Como os motores não foram acionados como o esperado, é provável que o booster foi perdido.

Enquanto isso, o Starship continuou a viagem pelo espaço e desativou seus motores posteriormente, marcando a inserção suborbital. Nas missões anteriores, o estágio superior deveria dar quase uma volta completa ao redor da Terra pousar perto do Havaí, no oceano Pacífico; desta vez, o esperado era que quase completasse a volta e descesse ao oceano Índico. Vale lembrar que o Starship não completou uma órbita ao redor da Terra em nenhum dos testes de voo. 

Continua após a publicidade

A missão tinha o objetivo de colocar em prática as lições aprendidas nas anteriores e ir além delas. Para isso, uma das metas da SpaceX era testar a abertura e fechamento da porta de cargas úteis do Starship, que vai ser usada para lançar satélites Starlink. O mecanismo funcionou, cumprindo um dos objetivos do voo.

Continua após a publicidade

A etapa de voo pelo espaço incluiu também uma demonstração de transferência de propelente, que foi executada. “Cada um destes testes de voos continua sendo apenas isso: um teste”, explicou a SpaceX na descrição da missão. “Eles não estão ocorrendo em um laboratório ou em uma base de testes, mas estamos colocando o hardware de voo no ambiente de voo para aprender o máximo possível”, acrescentaram. 

O sinal foi perdido durante a reentrada do Starship, algo já esperado enquanto a espaçonave atravessava a atmosfera da Terra. Durante o retorno, a espaçonave viajava a mais de 26 mil km/h — segundo comentários dos funcionários da SpaceX durante a transmissão, esta é a maior velocidade que o Starship já alcançou.

Por volta das 11h30, os funcionários da SpaceX confirmaram durante a transmissão que o Starship foi perdido durante as etapas finais da reentrada na atmosfera.

Continua após a publicidade

Para este teste de voo, a empresa precisava de uma nova licença da Administração Federal de Aviação (FAA), agência reguladora de voos nos Estados Unidos. E conseguiu: “A FAA determinou que a SpaceX atendeu a todos os requisitos de segurança, meio ambiente, política e responsabilidade financeira”, escreveu a agência no X, o antigo Twitter, na quarta-feira (13). 

Continua após a publicidade

Abaixo, você confere a reprise da missão:

Continua após a publicidade

Foguete Starship

O Starship, formado pelo propulsor Super Heavy e pelo veículo Starship, é o foguete mais alto e potente já criado. Juntos, os estágios formam um foguete que mede 122 m de altura — para comparação, o Saturn V, usado nos lançamentos das missões do programa Apollo, chegava a 110 m. 

A SpaceX projetou o sistema para ser total e rapidamente reutilizável. Até o momento, a empresa fechou viagens privadas ao redor da Lua com o Starship, e foi selecionada pela NASA para desenvolver uma versão do veículo para os astronautas do programa Artemis descerem à superfície da Lua.

Continua após a publicidade

Mas, antes de tudo isso acontecer, a SpaceX precisa mostrar primeiro que seu foguete pode chegar à órbita. O primeiro teste de voo do Starship aconteceu em abril de 2023, e acabou com uma explosão; no segundo, feito em novembro daquele ano, os estágios se separaram com sucesso, mas também explodiram. 



Source link

Leave a Comment